sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Simples desejos para 2012...


Para a dor, conforto
Para os desejos, saciedade
Para os amigos, entendimento
Para a mudança, coragem
Para a lágrima, o colo
Para as brigas, harmonia
Para as dúvidas, certezas
Para o desânimo, fé
Para a raiva, suavidade
Para a ignorância, luz
Para a frustração, ternura
Para perguntas, respostas
Para saúde, cuidados
Para os medos, segurança
Para as injustiças, tolerância
Para o tempo, paciência
Para decisões, atitudes
Para um sorriso, outro
Para a saudade, o regresso
Para o amor, reciprocidade
Para os sonhos, realizações...
E finalmente, para todos nós, paz, fé e sabedoria, o tripé que sustenta nossas vidas. Feliz 2012 para cada leitor que me acompanhou até aqui!

Imagem by perseguindoumsonho-rumoapf.blogspot.com

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Carta para um grande amor em despedida

Imagem by Freepik

Oi, meu amor. Há dias as palavras dançam entre minha cabeça e meu coração e hoje, véspera de final de ano, cheguei à conclusão de que não posso esperar mais. Precisei escrever esta carta. Escrevo porque, com você, fico meio confusa, meio sem ar, meio boba, e as palavras talvez não saiam como devem.
Sabe, fico tentando entender o jeito como eu te amo. Amo tanto que não quero vê-lo sofrer nunca, por ninguém nem por nada. Na verdade, eu queria mesmo é poder protegê-lo da dor, sabe, queria que sua vida fosse só alegrias, diversão, viagens, música, filmes, internet, um bom carro...Não quero vê-lo frustrado nem doente. Queria ter o poder de dar tudo o que você quer só pra ver aquele sorriso que eu adoro, que só de lembrar me faz sorrir também. Queria ter uma pedra filosofal para dar de presente à você,  para que as pessoas que você ama não morressem, só pra não imaginar como isso te deixaria arrasado. Queria também saber o que deseja sem que precisasse pedir só pra fazer o que você quer, do jeito certo, na hora certa. Queria satisfazer suas vontades de corpo, alma e coração, e envolvê-lo com tanto calor e paixão a ponto de se sentir saciado e completo.
O amor que sinto por você também me faz melhor. Por ele eu quero me cuidar, quero tomar vitaminas de frutas e fazer exercícios só pra estar bem quando você puder me ver. Não quero guardar mágoas de ninguém porque quero meu coração puro só pra entregá-lo nas suas mãos quando quiser buscá-lo. Quero amar e ajudar aos outros porque sei que preza bons sentimentos. Quero ser grande pra acolher as pessoas que são importantes pra você.
Tanto amor, sem dúvida assusta. Não raras vezes  penso em sumir da sua vida, desaparecer sem deixar rastros...Medo de estar atrapalhando, medo de não ser amada, medo que o meu amor não seja o suficiente, medo de decepcionar, medo de pensar que desistiu e prefere uma vida confortável a uma vida feliz, medo de acreditar que está tudo bem e descobrir sozinha que não está. Os medos vem como um bicho-papão no quarto escuro de uma ciança. Mas como sou uma criança valente e apaixonada, converso comigo mesma e não preciso argumentar muito para entender  que longe não consigo ficar, não consigo imaginar como reaprender a ficar sem você de novo. Talvez seja culpa da idade, com o tempo fica mais difícil aprender a guardar os sentimentos... lanço os dados da vida confiando estar certa por escolher esperar.
Então, a minha despedida, nessa carta, não vai pra você; vai para 2011, o ano em que você me achou quando eu havia há algum tempo me perdido. Não estou onde queria estar, os sonhos e planos de estar com você até o final do ano, por alguns motivos, não se realizaram...Mas tenho o hábito de encontrar explicações pra tudo, talvez este seja o tempo necessário para que entenda o tamanho do que eu sinto, para que esteja seguro do quanto eu seria capaz para fazê-lo feliz, para que aceite que as coisas são como tem que ser e não como teriam sido, para ter certeza se um dia resolver deixar uma vida normal  por uma vida de verdade.
Meu desejo para 2012, se resume em um: que daqui a um ano eu possa escrever uma nova carta contando o quanto o ano foi maravilhoso por ter você finalmente ao meu lado e o quanto vai ser difícil  me despedir dele. Da sempre sua.


Coragem!

Imagem by Freepik

"Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo.
Se sentir saudades do que fazia, volta a fazê-lo.
Não viva de fotografias amareladas...
Continue, quando todos esperam que desistas.
Não deixe que enferruje o ferro que existe em você.
Faça com que, em vez pena, tenham respeito por você.
Quando não conseguir correr atrás dos anos, trote.
Quando não conseguir trotar, caminhe.
Quando não conseguir caminhar, use uma bengala.
Mas nunca se detenha."
Madre Tereza de Calcutá

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Combinação perfeita

Imagem by Freepik

Chuva + férias = ficar enroscado em quem se ama. Saudade de alguém que está longe.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Juízo e coragem


As coisas não acontecem onde falta coragem e sobra juízo. Para as mudanças acontecerem, essa balança tem que estar equilibrada, ou sobrar de longe coragem. O juízo gosta do conforto do que é conhecido e seguro, do que é normal, do que é tranquilo e portanto, sem sal. Juízo é bom, mas coragem, melhor ainda. Coragem é um dos temperos da vida.
Bia Hain

Imagem daqui

Eu prefiro nadar...


Trecho do Livro Carta entre Amigos - sobre ganhar e perder.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Sentir ou não sentir: eis a questão!

Imagem by Freepik

Alguns acontecimentos me fizeram parar para pensar sobre essa questão: o que é melhor, sentir ou não sentir?
O não sentir é necessário, faz parte da força e do equilíbrio que precisamos ter no dia-a-dia. Precisamos dominar os sentimentos para trabalhar, tomar decisões justas, auxiliar alguém que está doente e precisa da nossa ajuda e para dar apoio à alguém que está em dificuldades. Precisamos não sentir para estar firme quando perdemos alguém querido e queremos ajudar quem está  sofrendo a se sentir amparado, quando um amigo nos pede conselhos e quando há o desejo de comprar algo mas o dinheiro é pouco. O não sentir nos faz tomar atitudes rápidas ou segurar a língua para não falar bobagem na hora da raiva. O domínio dos sentimentos nos torna pessoas aptas a encarar os desafios da vida.
Mas o sentir...Bem o sentir é o que nos torna humanos. Falo daquele sentir saudável, do que nos torna vivos, do que faz o tempo que passamos por aqui valer a pena. Quando abrimos um canal de sentimentos e nos abandonamos à ele, tudo fica mais intenso, a vida ganha mais cor e as coisas à nossa volta ganham um novo significado. Com a pressão de ter de tomar decisões o tempo todo, acabamos esquecendo ou evitando o sentir para podermos concentrar forças na resolução dos problemas e então a nossa vida aos poucos de reduz à isso, como se fôssemos um funcionário de uma repartição qualquer pronto para resolver problemas, e só. Quando deixamos que o sentir tome seu espaço em nossa vida, o sabor da comida, do beijo, do abraço, do pé na areia molhada, os cheiros, tudo é motivo para abrir um sorriso em nossa alma. O sentir faz uma viagem ter outro brilho, ver que há beleza na chuva e no sol, no calor e no frio e naquela formiguinha que carrega uma folha para o seu ninho. O amor a dois não é completo se não houver a entrega do sentimento para o outro, pois nesse caso, até a entrega do corpo será pela metade.
Há pessoas que se recusam a sentir com medo de sofrer, e tem uma certa razão, porque o sentir tem esse avesso ruim. É um risco que corremos, o de sentir...dor. Mas não sentir, com medo da dor, reduz muito a capacidade que temos de viver intensamente cada minuto da nossa vida e de espalhar nossa luz à quem estiver por perto. Fechar a porta do sentimento nos torna apenas mais um número na estatística, ou uma simples máquina velha e ultrapassada, porque é o sentir que nos renova.
Não sejamos uma máquina, vamos buscar a beleza do sentir em todos os instantes da vida em que a razão possa dar lugar à emoção. Que a resolução de 2012 seja estar aberto ao sentimento!

domingo, 25 de dezembro de 2011

Presente é amadurecer

By Amanda Truss - Flickr

Dá pra perceber que crescemos verdadeiramente quando deixamos de contar os presentes de Natal materiais para contar os que recebemos humanamente. As "lembrancinhas" foram poucas, mas ganhei abraços, beijos e convivência à mesa com a família. Recebi palavras carinhosas de todos os lados: olho no olho, em discurso, em recados virtuais e em um e-mail que foi sem dúvida a estrela da minha árvore de Natal. Houve uma pequena decepção com a humanidade porque é necessário perceber todos os dias quantos bons sentimentos ainda precisam ser plantados pelo caminho, mas sementes não irão faltar. Ganhei o melhor e mais duradouro presente que poderia receber: amor de quem amo.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O que é ser um guerreiro


Um verdadeiro guerreiro, quando se dispõe a lutar, não desiste até alcançar seu objetivo, por mais difícil que seja sua batalha. Mas isso não é garantia de que irá vencer. Ele pode ser derrotado por seu oponente, seja a pequenos golpes torturantes, seja de um impiedoso golpe só. Seu orgulho será carregar consigo a medalha da coragem e da dignidade.

Imagem by www.clube.atrativa.com.br

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Amor e doação

Imagem by Gustavo Kunst - Flickr

Amor = doação
Doação = você sempre em segundo plano
Você sempre em segundo plano = só para os fortes!

O inesperado me assalta


O mais impressionante é a velocidade e a maneira inesperada como meus pensamentos levam-me até ele. Durante os afazeres domésticos, no meio de um trabalho difícil, na hora do banho ou entre as páginas do meu livro de estudos, não importa, o pensamento vem, me pega pelas mãos, me olha nos olhos e não aceita argumentos:  me coloca em seus braços. Não tenho mais domínio sobre mim.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Incertezas

By Flickr

Estando em um ano em que minhas certezas foram, e continuam sendo, desconstruídas a cada dia, só mesmo sentir Deus falar ao meu ouvido, sempre do lado direito, como se fosse o sábio Grilo Falante da antiga fábula sentado em meu ombro, é capaz de sustentar a fé de que conseguirei construir uma nova estrutura bela e sólida.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Castelos

Imagem by Rodrigo Amorim - Flickr

"Se construiu um castelo no ar, não teime em fazer fundações nele. O  que foi feito no ar, um dia fatalmente será levado pelo vento. Ao contrário, se construir um castelo de pedra, este permanecerá sólido por muito tempo."
Miguel Falabella

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Natal e Ano Novo aos olhos de Bia


Fiquei pensando sobre qual seria o principal foco do Natal. Quando criança, logo pensávamos nos presentes e no que iríamos ganhar...Mas mesmo nessa época, já aprendi que o melhor do Natal é estar com a família. Os preparativos, telefonemas, pensar no cardápio, quem leva o que, quem faz o peru, a maionese, a sobremesa. Se a festa será comemorada nessa ou naquela casa, se vai haver ceia ou só um lanchinho para guardar espaço para um belo almoço no dia 25. Ainda criança, eu e meus primos ficávamos ansiosos esperando o Papai Noel chegar, só pra ficar cochichando, desconfiados, se por baixo daquele bigode não estaria um tio que sempre sumia na mesma hora! Mesmo assim, na dúvida, depois que se ia, corria para a janela para ver se encontrava, no céu, ele indo embora com seu trenó encantado.
Os anos passaram e o tempo foi levando algumas estrelas da festa, que estão brilhando lá no céu. Difícil conservar a magia com tantas faltas, mas há crianças na família que merecem experimentar a doçura que só a fantasia pode trazer, papel dos adultos cultivá-las,  e há outros queridos que não sabemos até quando estarão participando da fotografia.
Aprendi, também, que há valor na família que conhecemos ao longo da vida. O coração da alma não tem espaço definido, como um hd de computador, é do tamanho que a gente quiser, e cabe nele os amigos (reais ou virtuais), um novo membro da família, uma nova cunhada, um novo marido, um novo sobrinho, a prima da irmã do enteado...Enfim, o Natal fica mais bonito para quem se abre para o novo, em todos os sentidos.
No Natal também comemoramos o aniversário daquela Pessoa tão importante que está conosco mesmo quando estamos na solidão, tem data mais importante?
A nostalgia do Natal traz sonhos, lembranças, algumas tristezinhas pelas perdas e muito carinho dos que estão à nossa volta. Toda essa carga emocional às vezes dá um cansaço...Acho que é por isso que em seguida existe o Ano Novo, símbolo oficial do recomeçar, sem esquecer que temos que recomeçar todos os dias. É hora de rever os erros e tentar fazer diferente, pra não errar, e permanecer nos acertos até que eles se tornem erros e sejam  novamente modificados. Esse é o ciclo da vida, uma sequência de erros e acertos indefinida. Quem sabe um dia a gente acerta de vez!
Hora de varrer as sujeiras da alma, se perdoar, perdoar o próximo e pedir perdão. E lembrar que não precisamos fazer isso só no Ano Novo, mas sempre que o coração estiver apertadinho. Hora de resolver que vai ser uma pessoa melhor, mas não deixar que se torne somente uma resolução de final de ano.
Desejo que consigamos espalhar boas sementes a cada novo dia de 2012 e que o coração consiga permanecer tão leve que nenhum mal consiga atinji-lo, e se isso acontecer, que o mal seja pago com bem.
Não costumo colocar música nas postagens, mas esta marcou minha infância, sempre me emociono quando escuto, porque a letra traduz exatamente como penso. É só clicar no link.
Feliz Natal, e um lindo Ano Novo que dure o ano inteiro!

P.s.: Já ganhei meu presente de Natal! :)

sábado, 17 de dezembro de 2011

Encontro com o mar

Imagem by Bia

Hoje acordei cedo e coloquei um vestido leve e um chinelinho de dedos, que nem combinavam. Na bolsa, uma toalha, um biquíni, filtro solar, dinheiro, óculos de sol e as chaves de casa. Tranquei minha vidinha de sempre, em busca de ser feliz, e saí sem olhar pra trás. Iria me encontrar com o mar.
No caminho, olhando as árvores que ladeiam a pista, senti o cheiro da lembrança de passar por ali com outra pessoa, e senti ao mesmo tempo um frio na espinha e um calor no rosto. Sorri sozinha, ninguém pediu explicações.
Finalmente cheguei ao local esperado, e feito criança quis logo descer do carro para me encontrar com aquela imensidão que me faz tão feliz!  O mar estava ali, azul como se fosse uma aquarela, o sol se perdendo no céu tão azul e tão limpo que mais parecia um presente de Natal, a linha mais escura no encontro dos dois no horizonte, e aquele cheiro salgado que não se encontra em nenhum outro lugar. Brinquei com os pés na água, depois fui me entregando aos poucos até chegar  ao ponto de estar envolta em água e espuma. Me perdi no tempo, e depois que o torpor tomou conta de mim, voltei para a areia  para ficar namorando a bela paisagem.
Então me dei conta de que a vida não estava inteira...Olhei a perfeição em volta e entendi  que faltou um cheiro, um abraço, um beijo e um corpo quente junto ao meu, um calor que o sol não seria capaz de me dar. Pra vida estar completa, faltou você na minha pintura.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Os pés falam

By Jemps - Flickr

Observar alguns grãos de areia nos meus pés me fez pensar que hoje não preciso de metáforas nem comparações poéticas para expressar o que estou sentindo. Hoje,  minha felicidade já é poesia da melhor qualidade.

Choro gostoso!

Imagem by Bia

Hoje, o meu choro não traz culpa nem tristeza. Metade choro de felicidade, e metade choro de saudade.

domingo, 4 de dezembro de 2011

As gavetas de 2011


Imagem by Freepik

Já li diversas vezes sobre a necessidade que todos temos de limpar periodicamente as "gavetas da nossa alma". Final de ano é perfeito para fazer isso, vou dividir com vocês um pouquinho dessa limpeza.

Esse foi um dos anos mais difíceis da minha vida, e também um dos mais belos. Foi um ano de perdas: perdi uma pessoa da família que amava para o câncer, vi minha família perder o brilho com isso,  perdi a coragem às vezes, perdi a confiança no achar que as pessoas querem ser melhores, descobri que perdi muito tempo ajudando quem não quer ser ajudado, perdi por não ter reconhecimento e por esperar isso das pessoas. Perdi um pouco da saúde e quase perdi o juízo de vez, mas não sei se isso seria uma perda ruim. São sentimentos que devem ser embrulhados num papel pardo.

Mas no avesso da perda, ganhei tantas coisas que não tem como fechar o ano infeliz.Ganhei uma nova visão sobre a vida e as pessoas. Lembrei do valor que há na amizade, no quanto é bom dar sem esperar receber, no quanto, apesar de parecer injusta, a vida nos aproxima de pessoas que fazem valer  a pena. Aprendi que não estou onde gostaria de estar, mas talvez onde Deus quer que eu esteja, e vendo os belos desenhos que Ele me mostrou,entendi que a fé e a perseverança me levarão a um belo lugar. Senti o despertar de novos dons, o quanto a alma pode ser grande em situações muito dolorosas e também o quanto é bom compartilhar bons conhecimentos e sentimentos.São os sentimentos que merecem ser embrulhados e guardados em um lindo papel colorido com o mais belo laço de fita dourada.

O maior,mais inesquecível e surpreendente ganho foi o retorno de um grande amor para minha vida, esse sim, um presente que me fez enxergar que há beleza mesmo quando tudo parece perdido. Essa gaveta eu não quero limpar, nem quero embrulhar nada, quero deixar cuidadosamente arrumada para que veja o capricho que dediquei à ele quando as circunstâncias e os desenhos das nossas vidas fizerem parte do mesmo papel.

Quero as gavetas das coisa ruins trancafiadas à chave, pois são uma parte de mim, mas quero abrir muitas gavetas para as coisas boas que virão no próximo ano, e poder ser a chave de gavetas que pertençam a outras pessoas  e que talvez só precisem disso para serem felizes. Que venha 2012. Com as gavetas arrumadas tudo fica mais fácil!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Caso de amor com o mar

By Guilhermo JM - Flickr

Eu, que tenho um caso de amor antigo com o mar, quero que ele seja ainda mais meu com você assim, fazendo parte dele.
Bia Hain