terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Um convite...



Intenção de dias, guardada há anos...
De corpos colados, encaixados,
movimentos sincronizados, 
lentos, voluptuosos ou cadenciados,
coxa com coxa, peito com peito,
respiração próxima, olhos nos olhos,
suor transpirando sensualidade,
ouvidos aguçados
capturando a sutileza da nota...
Vem dançar comigo?
O ritmo você escolhe, tanto faz...
Porque a música o seu corpo obedece,
e ao seu corpo, eu obedeço inteira.
Bia Hain

Imagem by Modo Suave de escrever

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Presentes e respostas


Imagem by Freepik

Duas verdades irrefragáveis: Deus sempre nos dá o que pedimos e sempre responde a nossas perguntas, a seu modo. O que fazemos com os presentes que recebemos e com as repostas que encontramos é o que chamamos livre arbítrio, e como lidamos com eles é o que chamamos viver a vida. Há que se ter sabedoria para o pedir e para o perguntar.


domingo, 29 de janeiro de 2012

Abrigo

Imagem by Freepik

Olho para dentro de mim, quem está aí? Alguém que mexe com meus sentimentos, bagunça meus pensamentos, desperta meus desejos mais velados, aflora meus cinco sentidos, e o sexto, e o sétimo...Sensações infinitas e indefinidas, que tornam-me desobediente à razão, hipnotisada, e ainda assim mais viva do que nunca. Na completude do que sou, todos os pontos convergem  para um só, deliciosamente adorável e apaixonante... Fiz-me abrigo para guardar você.
Bia Hain


sábado, 28 de janeiro de 2012

Teoria da faca



Seguindo a série "o cotidiano ensina", olhei uma faca na cozinha (hahaha, sempre a cozinha!) e pensei: quando nascemos, nossa vida é como um desses objetos novos, saído da caixa. Temos em mãos um objeto brilhante, sem riscos, com um fio poderosamente cortante. Somos destemidos como sua lâmina, brilhamos, queremos desbravar o mundo, mas a falta de experiência faz com que nos machuquemos, e machuquemos o outro, sem querer. A inexperiência torna a vida ousada e perigosa, porém cheia de aventuras.
Então a vida ensina que é preciso cuidado com seu manejo, e com o cuidado vamos perdendo junto o brilho.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Em busca do leito


Chove e penso. O amor que sinto, tal qual chuva, pode cair em muitos lugares diferentes. Às vezes intensamente, noutras suavemente...tanto faz. A busca natural do que sinto será sempre em direção à você, meu mar, nem que eu tenha que repetir incansavelmente o ritual de evaporar e cair, e evaporar e cair...Até que eu consiga encontrar seu leito para que possamos juntos, evaporar para o fim.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Centelhas de vida

Imagem by Freepik

Gargalhada de bebê,  passarinho na janela, boas lembranças, de arrepiar os pelos
Beijo na boca de quem se ama, abraços apertados de todos os lados, afago de leve nos cabelos.
Chuveiro quentinho no frio, chuveiro frio no calor, chuveiro morno para dois
Rir muito com os amigos, de doer as bochechas,  sem pensar no que ficou para depois.
Passear de moto sentindo o vento no rosto, passear de carro ouvindo música, passear a pé na beira-mar
Passar o dia com a família, com histórias absurdas de toda sorte para contar...

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

MEME Respostas Íntimas

Então, estou aqui para responder às perguntas do MEME Respostas Íntimas (medo) por indicação da querida Van, do blog Retalhos do Que Sou (da qual sou fã assumida), é sempre uma honra ser lembrada por amigos. Devo indicar mais cinco blogs para fazê-lo, mas a amizade continua a mesma se não se sentirem à vontade para responder. Indico:
- Amanda, blog Moda Ponto Com
- Cygana, blog da Cygana
- Chica, blog Chica brinca de poesia
- Eder, blog Gotas de Prosias
- Nanda, blog A sobrevivente do dia anterior
Imagem by Freepik


1- Nome do blog que você visita mais:
Além dos meus, adoro de paixão Retalhos do Que sou, Observatório da Experiência, Isto de Se Ser Humano, Fases de Quem Ama, Divulgando e Debatendo. Mas tento visitar todos da minha lista e adoro o que vejo (e leio).

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Gotas homeopáticas




Quando eu olho para dentro de mim, à procura de algo que faça ferver os olhos baixos e estampe um sorriso na face, são gotas homeopáticas de lembranças suas que me trazem de volta ao estado de vida.
Bia Hain

Imagem by www.zun.com.br

domingo, 22 de janeiro de 2012

Em mim


Frio de doer, cobertor para  aquecer.
Calor ardente na pele, brisa fresca e leve.
Chuva  de alagar,  sol para secar.
Lágrima que enfraquece,  sorriso que fortalece.
Saudade que aperta, lembrança que liberta.
Bilho dos olhos que se vão...Amor, luz na escuridão.
Chama que se apaga, lentamente. Brasa que revive o que está dormente.
O cobertor, a brisa, o sol, o sorriso, a lembrança, o amor e a brasa.
Todos vivem aqui, dentro de mim. Promessa feita, destino traçado. Tentarei usá-los com precisão.
Bia Hain

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Hoje eu sonhei com você. Fiquei  uns bons minutos ainda de olhos fechados, mesmo depois de acordada, como se quisesse capturar cada detalhe daquela última cena sua ao meu lado,  me olhando nos olhos, em realidade, ou em uma tela para adornar o vão do meu mundinho.

Defeito de fabricação


Imagem by Freepik

Constatação: vim ao mundo com  defeito de fabricação. Os sentimentos e atitudes  sempre vem acompanhados do advérbio de intensidade muito:  amar muito, beijar muito, sorrir muito, ajudar muito, me dar muito, cantar muito, perdoar muito,  querer ser muito melhor do que sou. Então a vida cobra seu preço: sinto muitas saudades, espero  muito, entristeço muito, choro muito, me cobro muito,  e principalmente, canso muito, de uma vez.Viver intensamente é bom, mas custa caro. Será que para isso há conserto, talvez  peças de reposição?


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Acorde


Imagem by Freepik

Acorde. Acorde agora. Me roube, me pegue, me leve para longe, me agarre, me beije, me aperte contra seu corpo, me faça perder o fôlego, o juízo, a consciência. Me mate e em seguida me ressuscite, com paixão, com vontade, com entrega. Esqueça o que é ruim e o que ficou para trás, olhe para frente, e que eu esteja no seu horizonte. Só não demore, porque aqui dentro, tudo está gritando, bem alto, por você.
Bia Hain


Calada da noite

By Flickr

É noite profunda. Escuro. Silêncio. Olhos abertos, música no ouvido, água na boca e o pensamento voando para longe, não em sonhos, talvez buscando alguém...Volte, pensamento, é perigoso sair por aí, a essa hora, sozinho! Vem sonhar na cama que é lugar quente!
Bia Hain

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Pérolas ao chão


Imagem by Freepik

Hoje não tenho pérolas para dividir com ninguém. Elas estão espalhadas pelo chão, tal qual um colar arrancado do pescoço pelas mãos impiedosas da vida, que não é nada complacente com quem tenta cultivar o melhor de si. Ajoelhar-me-ei para juntar uma a uma e tecerei um novo colar, buscando usar uma linha mais forte, e construirei para guardar uma linda caixa blindada para que ninguém mais as tome de mim.
Bia Hain


domingo, 15 de janeiro de 2012

Banho de chuva



Hoje está chovendo. A chuva me lembra aconchego, quietude, abraços doces e beijos lentos, sensuais, ver um filme aproveitando calmamente os segundos da vida... Mas a chuva também me lembra os dias em que, ainda adolescente, saía no quintal de casa para tomar aquele banho, sentindo a água fria batendo no rosto, às vezes dançando, às vezes sorrindo, às vezes chorando. Sempre quando estava sozinha, pois a mãe tinha medo que eu pegasse um resfriado. Ora, resfriados passam logo. Um banho desses, remédio gratuito, não receitado por médicos, serve para lavar a alma e o coração. Não se resolve na farmácia.
Bia Hain

Imagem daqui

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Uma princesa e seu conto de fadas



Era uma vez uma princesa de pele branquinha, olhos azuis e cabelos castanhos. Adorava ler histórias e brincar de bonecas. Imaginava como seria seu príncipe encantado, seu palácio, seu casamento e como viveriam felizes para sempre.
A princesa se mudou para um "palácio", mas a vida ficou difícil e passou a trabalhar tanto que mais parecia a gata borralheira do que a Cinderela. Conheceu seu príncipe encantado, um moreno bem abrasileirado...Mas maldições desconhecidas os afastaram. Casou-se com o bobo da corte e teve uma linda princesinha, mas a vida continuou dura. Se separou, encontrou de novo o príncipe, que mostrou seu lado sapo, que virou príncipe de novo, e de novo sapo. Um mago disfarçado de amigo o levou para longe, e então um bruxo muito, muito das trevas, disfarçado de bom moço, a enfeitiçou, e fez sua vida mais amarga do que chá de losna.
Encontrou uma fada que lhe devolveu o caminho da vida, e assim seguiu, ganhando e perdendo, mais perdendo do que ganhando, até hoje, e sempre tentando sorrir.
Mas ela ainda sonha, acredita em fadas disfarçadas de boas pessoas, em príncipes, que sempre terão um lado sapo, mas espera que o lado príncipe prevaleça, em bruxas do bem que gostam de ajudar os outros...Acredita porque, se deixasse que os maus feitiços da vida tomassem conta de si, já teria virado pedra há muito tempo.
Ela entendeu que ser feliz para sempre não existe, mas luta, mesmo na dor, para acreditar que existe ser feliz um pouquinho todo dia.
Bia Hain

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Coração inquieto



O coração tem andado pra lá e pra cá, inquieto, agitado, como se estivesse no olho de uma tormenta ou preso em uma jaula há dias sem se alimentar. "Aquieta e silencia, frágil coração, ansiedade e grossos modos não combinam com uma moça de fino trato."
Bia Hain

Imagem by www.casadalila.blogspot.com

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Estrelas são referências


À pouco fui até a janela, olhei para cima e vi um céu cheio de estrelas, como há algum tempo eu não via, e sorri. Um céu assim me faz lembrar só coisas boas, me lembra praia, bons momentos contando estrelas a dois...As estrelas são como uma referência que me trazem de volta para mim. Me fazem lembrar o quanto é bom estar viva.

Imagem daqui

Desperdícios e "desperdícios"

Imagem by Freepik

Desperdício quer dizer "perda ou despesa inútil". Li uns textos que me fizeram pensar sobre o tema, e cheguei a algumas conclusões.
Passamos a vida desperdiçando, e nem nos damos conta disso. Desperdiçamos água, mesmo sabendo que ela está escassa, comida, mesmo que tenham tantas pessoas sem ter o que comer no mundo, embalagens, mesmo sabendo que poluem o meio ambiente. A lista vai longe: dinheiro, com supérfluos que muitas vezes nem utilizamos; saúde, quando não fazemos o mínimo esforço para conservá-la, sentimentos, quando damos solo fértil para que cresçam os maus como a raiva, o ódio, a mágoa, a culpa, o ressentimento, o desamor, a desesperança. Desperdiçamos oportunidades de fazer o bem e depois nos lamentamos, para aliviar a culpa.
Os maiores desperdícios são os de tempo e de vida.Perdemos tempo tentando consertar o que não tem conserto, insistindo no que não dá certo, fazendo coisas que não nos acrescentam nada quando poderíamos "desperdiçar" energia no que nos torna pessoas melhores. Perdemos tempo com tv, internet, cuidando da vida do outro mas não "desperdiçamos" tempo parando cinco minutos para ouvir atentamente o que um filho tem a dizer. Perdemos tempo em relacionamentos desgastados pela vida e pela falta de empenho mútua em refrescar constantemente os sentimentos em vez de "desperdiçar" nosso tempo amando muito e plenamente quem aceite fazer parte dessa troca. Perdemos tempo, em casa, vendo pela janela a vida passar em vez de "desperdiçá-la" viajando, nem que seja por perto, ficando numa praça ou visitando os amigos. A vida tem mais graça quando saímos do horizonte limitante da janela de casa. Perdemos palavras, geralmente quando são faladas, porque não pensamos muito no que estamos dizendo e depois não há como voltar atrás, mas poucos "desperdiçam" tempo escrevendo o que sentem, porque as palavras escritas são mais bem pensadas, e portanto, correm menos riscos de ferir alguém. Falamos demais mas não "desperdiçamos" tempo escutando o que o outro tem a dizer. Também nunca é um "desperdício" dar ao outro o que temos de melhor, como li uma vez, quem perde talvez seja o outro se não quiser receber.
Enfim, as aspas usadas no texto não são em vão: servem para mostrar o quanto os conceitos estão contrários. O que muitas vezes julgamos ser um "desperdício", na verdade, são os conceitos que nos tornam melhores, mais fortes, mais vivos. Porque desperdiçar tempo sem pensar no que fazemos, é, na verdade, dseperdiçar nosso bem maior que se acaba em um segundo: a vida. Muitas vezes o que tratamos como "desperdício" são aquelas pequenas coisas que fazem a vida valer a pena.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Dias dúbios



Há dias dúbios, em que dá vontade de sair correndo e ao mesmo tempo se enconder do mundo.
Dá vontade de gritar bem alto ou calar em silêncio profundo.
Vontade de amar com paixão ou esquecer que na vida existe o sentir.
Vontade de sorrir muito com alguém junto ou chorar sozinha, de soluçar, até dormir.
Sonhar bem alto até voar em pensamento ou plantar os pés na realidade...e tenho dito.
Resolver os problemas de uma vez, ou deixar nas mãos do destino o veredicto.
Bia Hain

Imagem by www.alisons2thayna.blogspot.com

sábado, 7 de janeiro de 2012

Células teimosas


Tem dias em que não adianta eu ter força de vontade, perseverança ou teimosia. Parece que todas as células do meu corpo passaram a madrugada inteira se organizando e quando eu acordo cada uma está segurando uma plaquinha pisca-pisca com seu nome, enquanto bradam um grito de guerra solicitando sua presença. Será que o nome disso é saudade?

Imagem by www.veja.abril.com.br

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Troca de olhar

Imagem by Clurichaun - Flickr

"Basta a gente se olhar que é assim, um se perde no outro..."
Autor Desconhecido

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Campanha

O inexplicável do amor



No inexplicável encontro do amor é assim: ele é complexo como um quebra-cabeças com mil peças muito parecidas onde é difícil encontrar aquela que se encaixa perfeitamente no vão. Ela é tão transparente quanto um jogo já montado, cuidadosamente emoldurado e pendurado na parede lateral da sala, mostrando para quem chegar sua paisagem por inteiro. E ainda assim o sentimento está lá, completo de ambos os lados, se encaixando perfeitamente.

Imagem by www.luzparaseudia.blogspot.com

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

E você, já foi julgado hoje?


Imagem by Freepik

Nascemos para julgar e sermos julgados, a realidade é esta. A partir do momento que nascemos, analisamos o que encontramos à nossa volta, e essa análise será determinante para a formação do caráter e da personalidade da pessoa. Processo de conhecimento quase que instintivo muito bem explicado pelas Ciências Humanas.
Quando convivemos com outras pessoas, analisamos seu comportamento, suas atitudes, suas ideias e formamos um conceito sobre ela através do julgamento das informações, isso é fato e quase incontrolável. O problema começa quando esquecemos que existem verdades que não são reveladas, pois ninguém se revela por inteiro, e passamos a achar que estamos aptos a determinar o que é melhor para aquela pessoa ou não, onde ela está certa ou errada, quando pode ou não ser um modelo a ser seguido.
Situação complicada é quando um amigo nos pede um conselho, uma opinião. Um verdadeiro amigo vai tentar opinar julgando os conhecimentos que tem da vida, da pessoa e do fato a ser questionado, tentando buscar a melhor resposta, mas não há garantias de que sua opinião irá servir, ou se enquadra realmente na situação, porque os fatores que cercam a vida de uma pessoa são muito complexos e não cabem em uma conversa de poucas horas. Engrenando nesse assunto, também as pessoas podem errar quando dão opiniões sobre o que devemos fazer das nossas vidas, uma vez que não participam do contexto do nosso cotidiano e não podem avaliar o que é melhor ou pior. Sem falar no fato de que erros geram consequências, que serão cobrados do próprio ser que os gerou.Frequentemente, o que parece perfeito na verdade não é, bem como em instantes de imperfeição podem estar os mais belos momentos.
Penso, então, que se o julgamento é praticamente parte do nossa dia-a-dia, o que fazemos com as conclusões que chegamos é escolha nossa. Julgar, mas aprender a não condenar, é sim uma escolha consciente de cada um que reflete qual é o seu caráter, sua ética, suas bases e sua maturidade. Não existem verdades prontas. Julgar e apontar o dedo para o que considera um erro é uma atitude arrogante e imatura, porque o julgar nunca pode superar dois outros sentimentos instintivos que nascem conosco e estes sim, devem ser cultivados: o amor que se tem pela humanidade e a tolerância com os tropeços alheios.


domingo, 1 de janeiro de 2012

Uma nova página que se abre...



Na nova página da vida em branco que se abre hoje, por enquanto, nada quero escrever. É preciso tempo para os sentimentos encontrarem seu lugar, para levantar dos tombos que levei, para juntar forças e recomeçar a busca pelos sonhos que saudavelmente estão na fila de espera. Que o mar apague o que foi ruim em 2011 e conserve, em escrita sólida, o que foi bom, para ser forte raiz de 2012. Uma certeza me acompanha: querer fazer este ano valer a pena.

Imagem by Luciah Rollin