sábado, 30 de novembro de 2013

#partiu Primeiro lugar

Obs: texto originalmente escrito em 26/10/2013, sob influência desgastante do ENEM.

Cheguei à pouco da primeira etapa do exame do ENEM. Como imaginei, fui um fiasco em Ciências Naturais, hahaha, visto que terminei o Ensino Médio (antigo 2º grau) há mais de vinte anos... Mesmo assim farei a segunda etapa, aprendi que devemos terminar o que começamos. Envolta em concursos há algum tempo tenho analisado como essa questão da competição é complicada e desgastante, parece que vivemos o tempo todo na linha, esperando o "tiro" de largada. Não basta competir... tem que ser o melhor!

imagem by freepik


É histórica e retrógrada essa necessidade de classificar o ser humano em posicionamentos, conceito ultrapassado ainda em voga e distante da prática da Lei que assegura igualdade de direito para todos... Um concurso nos reduz a números e estimula um comportamento no estilo "farinha pouca, meu pirão primeiro". A competição permeia todos os setores da vida, o tempo todo. Para conseguir uma vaga na faculdade, um emprego, uma promoção, relacionamentos - quantas crianças (e adultos) já vi discutindo porque teimam em querer ser "o único melhor amigo"... No campo material pessoas perscrutam roupas, estilos, atitudes, celulares, moradias, carros e outros bens para ver qual - e quem - é o "melhor". Muitos devem ter histórias onde foram prejudicados em prol da concorrência. Onde se deseja chegar, afinal?

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Carta para aluno, na árvore [4] e flores


Tenho um aluno no período da tarde com grande aptidão para o desenho... resolvi comprar alguns materiais para incentivá-lo a desenvolver ainda mais seu dom e a perseguir seu objetivo, que é o de ser arquiteto. É um doce de menino, muito inteligente e educado, e desejo de coração que tenha um futuro brilhante pela frente.


Essa é mais uma cartinha que deixei por aí numa pequena árvore atrás do ponto de ônibus...


Onde estive no horário do almoço. Será que já foi encontrada?


E aqui uma pequena flor mato que adoro, acho tão delicada... ainda mais com as gotículas de orvalho do dia cinza.





terça-feira, 26 de novembro de 2013

#BCFotos {cor predileta}



Pois é... eu vi no blog da chica, da Maria Luiza, e achei uma beleza pra inaugurar minhas fotos no Homeopatia.  ideia é da Dani Moreno, do blog Moça de família, sobre nossa cor predileta. 
Eu aprendi a adorar cores, amo o azul do mar, do céu, mas nos últimos anos tenho tido uma tendência ao verde. Esperaaaança, sempre!

Por coincidência hoje visto uma camiseta verde - chegando da caminhada.Tenho várias peças dessa cor no armário.


Como diz minha filha, esses dias tive um "ataque de fofura" vendo um quero-quero com três mini-filhotes no gramado do parque. Olha que coisa mais fofita! e olha o quero-quero querendo me atacar, kkk

Quadrinho que fiz reaproveitando um antigo e já desbotando. Adorei!!! 

Gosto muito de fotografar esse ângulo de árvores em contraste com o céu.

Flor artesanal do meu arranjo de mesa


Árvore de Natal que já montei... agora só falta pendurar os enfeites.

Muito verde, muita esperança, muitas coisas que amadureçam e tornem-se suculentas e saborosas.



domingo, 24 de novembro de 2013

Conhecimento

imagem by freepik

Trechos de entrevistas participantes do projeto encantador, um documentário chamado Eu maior com entrevistas sobre a vida. Para encontrar os videos é só entrar no youtube e digitar o nome do projeto. Conheci o projeto no blog "Luz da Luma"

"Eu sou a inadequação. E agora? Vai deprimir ou vai rir?"
Márcio Libar

"Às vezes a vida lhe apresenta o desafio e você não tem escolha de encarar aquele desafio".
Benjamin Taubkin



"Muitas vezes a felicidade é a sensação de estar no lugar certo na hora certa, esteja acontecendo o que está acontecendo".
Letícia Sabatella

"Ser feliz é estar livre de um desejo de chegar a alguma coisa, relaxar essa busca básica de que falta alguma coisa".   

"...Pegar aquela tempestade interna e gerar um outro tipo de energia".
Marcelo Yuka

"As emoções em nós são muito rápidas, são instantâneas, o resto é memória. E a gente fica chamando essa memória... é preciso saber soltar. Quando eu abro as mãos nela cabe todo o universo. Quando eu seguro algo em minhas mãos, meu universo torna-se limitado".
Monja Coen

"As pessoas ficam sempre procurando uma estação para serem felizes".

"Eu cheguei aonde cheguei porque tudo que planejei deu errado. É a pura verdade".
Rubem alves

sábado, 23 de novembro de 2013

Um convite à alegria

Preciso, antes de tudo, agradecer a cada um que esteve aqui se envolvendo no delicado assunto tratado na semana passada. Acreditei que o artigo poderia ser mal recebido por se tratar de um tema doloroso. A repercussão e a participação ativa dos leitores em forma de comentários me faz acreditar que o assunto merece mesmo ser levado à tona e discutido com o intuito de fazer com que as pessoas se sintam mais à vontade em expôr seus limites sem medo de julgamento. Houve inclusive visitas de órgãos de saúde pública, o que me faz pensar que as considerações estavam de acordo com a realidade. O importante é que a atenção ao outro passe a ser redobrada.



Partilhamos histórias tristes... Minha proposta, então, é que nessa semana partilhemos alegrias, que tal? O convite é que deixe no comentário alguma alegria que recebeu nos últimos dias. Eu recebi algumas: noivado da filha, conquistas profissionais para quem amo, curso que adorei, presente quem não gosta kkk... 
Isso me faz lembrar da blogagem coletiva Pequenas Felicidades (conheça aqui), cuja proposta é pararmos para observar e valorizar as pequenas alegrias que acontecem no dia a dia. 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Insônia 12/15

imagem by freepik


Tristeza 
é quando alma 
derrete.

Insônia 
é quando os olhos do coração 
desejam sonhar abertos.

Incerteza
é quando a razão quer ir para um lado
e o coração para o outro.

Medo
é quando o mar da desilusão
abarcou o rio da esperança.

Limite
é quando a dor bate na rocha
e faz eco.

Cansaço
é quando o ramo da flor
sede ao peso do pássaro
em vez de sustentá-lo.


[buscando leito para os cansaços]

sábado, 16 de novembro de 2013

Passeio no museu

Imagens que mostram a influência da cultura indígena que predomina em minha região.




Setor histórico, onde estão coleções de réplicas de esqueletos, fósseis e armas primitivas.






Setor que reúne peças bem antigas, do tempo mais marcante da cultura indígena, ainda com pouca influência humana, e do tempo da escravidão.





Belíssima construção, antigo abrigo e colégio de padres Jesuítas.


Museu de Arqueologia e Etnologia de Paranaguá, Paranaguá, Brasil.
Acesso gratuito. Aberto de terça a sexta, das 9h00 às 12h00 e das 13h30 às 18h00.
Sábado - Domingo e Ferriados das 12h00 às 18h00.


Estrelas

imagem by freepik

"Estrelas para o escuro
como 
água
brilhava 
no olhar".

Arnaldo Antunes

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Uma linha tênue e irreparável

Um fenômeno chamou minha atenção. Em uma semana li três histórias sobre suicídios anunciados no Facebook, o que me fez pensar bastante. Hesitei escrever sobre um tema tão delicado, mas acredito que nada é mais urgente que cuidar da vida. Mortes que acontecem por iniciativa própria são um tabu por serem ocultadas, alguns padres se recusam a encomendar corpos - atitude que não concordo - e famílias carregam estigmas deixados por seus entes que não suportaram viver.

imagem do google

O que me preocupa é a popularidade que tem se dado ao ato. É preciso pensar nos impactos que um suicídio causa nas pessoas que a cercam. Convivi de perto com uma família que perdeu alguém assim e vi o quanto isso causa sequelas em quem ficou para o resto de suas vidas, imagino o impacto que pode ter em uma rede social. Fiquei pensando se houve as famosas "curtidas" tão banalizadas no mundo virtual.
Estudando e observando o assunto posso citar alguns fatores que silenciosamente levam a pessoa a tal iniciativa:

terça-feira, 12 de novembro de 2013

No parque [4]

envelope azul para combinar com o céu...

Mãos coçando para deixar mais uma cartinha hoje e como meu destino mais acessível é o parque onde caminho, aí está. Estava difícil, porque nessa época do ano, perto do verão, aumenta o fluxo de pessoas por lá.



Não deixei nessa reta, como da outra vez, mas na virada após o trajeto inicial. O dia hoje estava lindo e quente e apesar de ir um pouco mais tarde, o sol deu uma queimadinha nos ombros, hahaha.


domingo, 10 de novembro de 2013

Pavê de morango

 Delicioso e fácil, pavê em camadas que podem ser feitas com bolo ou bolacha champanhe.
imagem by bia

Ingredientes:

  • 1 pacote de bolacha champanhe (ver dicas) OU
  • 2 ovos
  • 2 colher de sopa de açúcar
  • 2 colher de sopa de farinha de trigo
  • 1 colher de chá cheia de fermento
Recheios:
  • 1 lata ou caixa de leite condensado
  • a mesma medida de leite
  • 1 colher de sopa de maisena
  • 1 pode de creme de leite de mesa (nata) 350g
  • 2 colheres de sopa rasas de açúcar
  • 1 caixa de morangos lavados e cortados em quatro, salpicados com açúcar.
  • 1 caixa de gelatina de morango 
Preparo:

Para o bolo, ligue o forno em temperatura média (200º). Bata as claras em neve. Acrescente as gemas e bata bem. Junte o açúcar e bata mais um pouco até ficar fofo. Junte o trigo e o fermento e bata rapidamente só para misturar, ou misture com uma colher. Coloque em um pirex médio e leve ao forno para assar por cerca de 15 a 20 minutos, até dourar ligeiramente, e quando pressionar suavemente a superfície, ela retorne ao normal.
Faça um creme no fogo com o leite condensado, o leite e a maisena, mexendo bem até engrossar. Coloque sobre a massa e espere esfriar. Bata a nata com o açúcar até encorpar, cuidado para não bater muito para não perder o ponto. Coloque sobre o creme. Arrume os morangos por cima. 
Dilua o morando em uma xícara grande (300ml) de água quente). Leve para gelar e fique observando. Mexa de vez em quando. Quando estiver com consistência de clara de ovo, espalhe delicadamente sobre os morangos e leve para gelar. sirva em seguida.

Dicas:

  • Se não quiser fazer o bolo, pode usar uma camada de bolacha champanhe molhada em leite ou guaraná.
  • Asso o bolo direto em um pirex refratário, assim, não há necessidade de cortar o bolo para fazer a camada.
  • Se gostar de uma sobremesa mais molhada, umedeça o bolo com guaraná ou meia xícara de água com uma colher de açúcar.
imagem by bia

sábado, 9 de novembro de 2013

Universos paralelos e 7º Book Crossing

*Esse post foi escrito em 06/11/2013 e me inspirou a deixar o livro da 7ª edição do Book Crossing  à beira de um rio. Para ler a postagem sobre o livro que deixei por lá clique aqui e acesse a página que fiz sobre o Projeto.


Imagem by freepik

Hoje foi dia de encerramento de um curso e eu resolvi fazer um lanche antes do horário marcado. Minha cidade de interior não tem muitas opções, mas há uma confeitaria que sofreu reformas há alguns meses e está belíssima, com sua decoração mesclando moderno e antigo na medida. Falei sobre ela aqui.
Pedi mais uma vez café com leite e um pedaço de torta Banoff e sentei na pequena mesa redonda da parte frontal, por onde vejo o movimento através de duas grandes janelas de vidro. Ali me dei conta de que quando estou nesse lugar me sinto como se eu estivesse num seguro universo paralelo.

Livro VII



Mais um livro participante do Projeto 12 livros em 12 meses, esse título clássico foi enviado no início da semana ao meu amigo Nestor Alcará, do blog Família Alcará. Lembro-me de ter lido pela primeira vez ainda pequena na casa do meu avô, eu sua pequena biblioteca. Livro adorável! Espero que ele goste.


domingo, 3 de novembro de 2013

Na árvore [3]

Hoje saí para almoçar com minha filha e na volta, perto de casa, resolvi deixar uma cartinha num local que costuma ser bem movimentado.


Aqui o panorama da árvore que fica próxima à uma escola. Comprei grampos novos! o/

Sempre me faz bem. 

Num abraço cabem uma vida e uma saudade

imagem google*

Devido aos costumes de família fiz minha incursão em visita aos que já se foram. Sei que muitos na blogosfera não tem esse hábito, mas admito que sinto um certo conforto por saber que ainda tenho a graça de poder cumprir essa tradição ao lado dos meus pais e não, em homenagem à eles. Costumo ser muito serena nesse sentido mas é inevitável não pensar na efemeridade da própria vida e voltar-se um pouco para si.

sábado, 2 de novembro de 2013

Outono 43/52

Participação para o desafio Technicholor - Vamos colorir 2013, promovido pelos blogs Recanto Alegna e Lemon Drops.

Outono 42/52


Participação para o desafio Technicholor - Vamos colorir 2013, promovido pelos blogs Recanto Alegna e Lemon Drops.

No cemitério

Pela manhã, visitando a morada dos que se foram, resolvi deixar duas cartas nesse lugar que em geral traz uma dorzinha de saudade.


Esse registro foi feito por minha filha e essas são minhas mãos...


Colocamos o envelope na base de uma linda árvore. O local estava cheio, precisamos de algumas tentativas para poder deixar a carta sem atrair curiosidade.

Esse outro deixei na porta de um mausoléu abandonado. Acho a arquitetura lindíssima, é uma pena estar abandonado.

No cantinho meu sobrinho... eu gostaria de poder comprar essa construção e conservá-la, até pelo valor histórico.

Escrevi as catas já com a intenção de deixar no cemitério, e eu espero que aqueles que as encontrarem motivem-se com suas palavras. 

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

No parque [3]

Mais um envelope deixado em minha caminhada de final de tarde. Gosto mais dos envelopes coloridos.

(acho que preciso comprar mais grampos, hahaha)



Aqui um pouco mais de longe... a imagem é de uma das touceiras que há na cerca que separa a pista de caminhada da pista do aeroporto de pequeno porte.


Aqui uma visão geral de onde a deixei. Essa época a pista fica mais cheia no final da tarde devido ao horário de verão, é preciso uma pequena manobra para não ser percebida.


Insônia 11/15 - Cartão Postal [9]

海菜 #43

Palácio de Inverno - Rússia


Noite refletindo
fragilidades ocultas
em vã imponência.


Projeto 15 insônias...Iniciativa blog Eppifania e blog Carneirismo.