domingo, 27 de agosto de 2017

Os arquétipos e o conceito "Do be do be do"

Você sabe o que são arquétipos?

Há umas duas semanas assisti online algumas palestras do físico quântico Amit Goswami que me trouxeram subsídios interessantes sobre o assunto. Arquétipos são aspectos fundamentais do nosso inconsciente, modelos primordiais e ancestrais, um conjunto de informações que trazemos conosco e que determinam o que somos essencialmente. Os arquétipos são como o ar - todos respiramos, porém não podemos pegar. O assunto foi largamente estudado por Jung, resultando em uma vasta coleção de livros muito explorado em religiões, livros, filmes, e em marketing e publicidade, induzindo o consumidor à aquisição de produtos e serviços, porém estes não serão meus enfoques aqui.


freepik


Segundo Amit, quanto mais próximo vivemos dos arquétipos de virtude, maiores as chances de vivermos nosso propósito de alma e por consequência, com plenitude. Os principais são: verdade (consigo mesmo), amor, beleza, abundância, holdness - inteireza, poder, justiça, bondade, Selfie (Todo). As profissões exploram arquétipos, alguns exemplos:

domingo, 20 de agosto de 2017

15 koans para pensar criativamente

Obs: gratidão imensa com o carinho e receptividade no aniversário do blog! <3

Os Koans são paradoxos utilizados especialmente por chineses e japoneses para mostrar a limitação em nossa comunicação verbal, utilizado no zen-budismo para transmissão de conhecimento. São enigmas que exigem a transcendência do pensamento racional e materialista, estimulando o pensamento criativo, o "pensar fora da caixa". Por esse motivo os Koans são citados em vários livros de física quântica, pela exigência da utilização do pensamento abstrato em seu entendimento e aplicação.




Segundo o livro O Tao da Física, de Fritjot Capra,  "os koans são enigmas absurdos, cuidadosamente preparados com o fito de fazer com que o estudante do zen se aperceba, do modo mais dramático, das limitações da lógica e do raciocínio. O palavreado irracional e o conteúdo paradoxal desses enigmas tornam impossível sua resolução através do pensamento. Os koans são elaborados precisamente para parar o processo do pensamento e, dessa forma, preparar o estudante para a experiência não-verbal da realidade." Só aqueles que conseguem encontrar respostas consistentes, porém fora do convencional, são considerados por seus mestres aptos, o que pode levar anos.

domingo, 13 de agosto de 2017

6 anos de blog -> Em paz com a sombra

Sim, essa aí sou eu, a dona da Bia, que se chama Vanessa, ou Vane para os mais chegados. Muito prazer, rsrsrsr!

O blog completou 6 anos dia 04 e pela primeira vez, não me dei conta, acreditam? Para verem como ando envolta em conhecimentos e atividades, rsrsrsrs! Começando do começo, vou falar um pouquinho sobre sombras...



imagem daqui

(quem quiser pular a explicação pode ir para o final da página, em "o que mudou no blog")

Tenho percebido a importância da auto-aceitação em oposição à auto-repressão. oriunda das rejeições à nossa "sombra", aos aspectos do nosso eu que não são bem acolhidos socialmente inclusive a partir de conceitos deturpados sobre o que é sombra, das rejeições e reprovações que sofremos ao longo da vida.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Ser normal ou ser natural

Você é normal ou é natural? É próspero ou não?

Até pouco tempo eu nunca havia parado para pensar nisso. Mas afinal, o que significa um ou outro?



Normal é o conjunto daquilo que a maior parte das pessoas faz, sente ou parece ser ou ter: conquistas, pensamentos, estilo, escolhas, padrões financeiros e emocionais, relacionamentos. Natural é o que trazemos conosco em essência. Até os seis anos a criança tem a capacidade de ser natural e por esse motivo é preciso ter cuidado com os estímulos e apreensões que oferecemos nessa fase. Mostrar a uma criança que ela não é plenamente amada e aceita, salvo os devidos limites, pode causar rombos enormes na estima e autoconfiança consolidados na sequência, quando a criança/adolescente começa a sofrer as pressões sociais.Não há problema em ter condutas ditas "normais", o problema é quando estas vão contra a natureza pessoal.